SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Sobrecarga dos Cuidadores de Pacientes Portadores de Cardiopatia Congênita. Suporte social pode ser um aliado?

Araújo, LRN, Turquetto, ALR, Amato , LP, Wilson, AMM, Jatene, MB
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL, ESCOLA DE ENFERMAGEM DA USP - SÃO PAULO - SP - BRASIL

Introdução: Crianças portadoras de cardiopatia congênita (CC) necessitam de cuidados complexos e geralmente um cuidador familiar é responsável por prover sem preparo ou suporte. Pode haver a sobrecarga do cuidador, que pode influenciar diretamente nos desfechos de saúde da criança. O suporte social percebido pelos cuidadores tem sido descrito como aliado no processo de cuidar, além de ser uma ferramenta na qual a equipe multidisciplinar promove a adesão ao tratamento. Objetivos: Descrever a sobrecarga do cuidador e o suporte social percebido e verificar sua correlação. Método: Estudo transversal e descritivo, aprovado pelo comitê de ética em pesquisa. A amostra foi de 84 cuidadores de crianças de até 2 anos em acompanhamento ambulatorial da CC. Foram entrevistados quanto a sobrecarga do cuidador em que foi utilizado o instrumento Zarit Burden Interview e para avaliação do suporte social percebido foi utilizado a escala de Medical Outcomes Score (MOS), ambos validados no Brasil. Foi realizada estatística descritiva dos dados sociodemográficos, cálculo dos escores de cada subescala do instrumento do MOS e o escore total da escala Zarit Burden Interview, feita correlação de Pearson entre as escalas e a regressão linear das variáveis relacionadas ao cuidador.Resultados: Dentre os cuidadores, 95,24% é do sexo feminino e a maioria a mãe da criança, 36,91% eram casados, com média de idade de 30,58 anos (± 7,33 anos). A média de idade das crianças era de 10,50 meses (±0,80 meses). A escala de MOS apresentou o escore médio de cada dimensão do MOS: dimensão material de 72,14 pts, desvio padrão 23,89; dimensão afetiva de 85,32 pontos, desvio padrão 19,87; dimensão interação social positiva de 76,43 pontos, desvio padrão de 22,65 e dimensão Informação/ Emocional de 71,13 pontos, desvio padrão 21.05, caracterizando o suporte social elevado em todas as dimensões e na avaliação da sobrecarga pelo instrumento Zarit Burden Interview foi obtido escore médio total de 23,92 pontos, desvio padrão de 10,28, caracterizando a sobrecarga do cuidador como moderada. A sobrecarga do cuidador teve correlação inversa com todos os escores avaliados pelo MOS: Material (r= -0,301;p = 0,005), Afetivo (r= -0,303;p = 0,005), interação social positiva (r= -0,450;p < 0.001) e Emocional/ Informação (r= -0,354; p < 0.001). Conclusão: A sobrecarga do cuidador foi moderada e o suporte social percebido alto na maioria da população do estudo. As escalas apresentaram correlação inversa que significa que quanto maior o suporte social, menor a sobrecarga do cuidador

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021