SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

ANÁLISE COMPARATIVA PROSPECTIVA ENTRE ACETAZOLAMIDA VERSUS PLACEBO EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA DESCOMPENSADA – RESULTADOS PRELIMINARES

Alexandre de Matos Soeiro, Cesar MC, Leal TCAT, Biselli B, Paula LJC, Lage R, Goldstein PG, Boros GB, Soares PR, Oliveira Jr MT
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução:Estudos recentes têm sugerido que o uso de acetazolamida pode auxiliar no manejo volêmico de pacientes com insuficiência cardíaca (IC) descompensada. No entanto, a comparação de forma prospectiva e randomizada em pacientes com IC e terapia diurética otimizada ainda não foi descrita. Objetivo:Comparar os parâmetros hemodinâmicos/metabólicos e a diurese em 72 horas associados ao uso de acetazolamida versus placebo em pacientes com IC descompensada. Métodos: Estudo prospectivo, randomizado, duplo cego e unicêntrico. Os pacientes foram divididos em dois grupos: acetazolamida e controle. Foram incluídos até o momento 18 pacientes (9 por grupo) entre fevereiro de 2.019 e dezembro de 2.019. Todos os pacientes receberam doses fixas de furosemida, hidroclorotiazida e espironolactona. A dose diária de acetazolamida administrada foi de 250 mg por 3 dias consecutivos. Os critérios de inclusão foram: homens e mulheres adultos com idade > 18 anos, portadores de IC com FEVE ≤ 40% documentada em ecocardiograma e BNP > 500 pg/ml. Análise estatística:O desfecho primário inclui separadamente a comparação entre grupos quanto à diurese e balanço hídrico negativo em 72 horas. Os desfechos secundários foram análise de segurança e incluíram: arritmia ventricular sustentada, intubação orotraqueal, uso de vasopressor ou inotrópico, necessidade de assistência circulatória mecânica, rebaixamento do nível de consciência, parada cardiorrespiratória e morte.  A análise comparativa entre os métodos foi realizada usando teste-T e Q-quadrado, sendo considerado significativo p < 0,05.Resultados: Cerca de 44% dos pacientes incluídos eram do sexo masculino, a mediana de idade foi de 54 anos e a mediana de fração de ejeção de 30%. As taxas médias de diurese em 72 horas foram de 9.587,2 + 2.716,6 ml no grupo acetazolamida versus 10.988,13 + 5.221,9 ml no grupo controle (p = 0,242). Em 72 horas, os valores de creatinina foram 1,55 + 0,48 versus 1,27 + 2,49 mg/dL (p = 0,097) e de BNP foram 1.619,7 + 1815,3 versus 1.990,6 + 1.487,9 pg/ml (p = 0,654) nos grupos acetazolamida e controle, respectivamente. Na comparação entre os grupos não se observaram diferenças significativas quanto aos desfechos combinados de segurança (55,5% vs. 22,2%, OR = 4,375; 95% CI: 0,564 – 33,949; p = 0,147) nos grupos acetazolamida e controle, respectivamente. Houve somente um óbito no grupo acetazolamida. Conclusão: Até o momento, a administração de acetazolamida não mostrou aumento de diurese em 72 horas e apresentou maior tendência a ocorrência de eventos de segurança.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021