SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Covid-19 em Fase Inflamatória em pacientes com síndrome coronariana aguda: achados preliminares

De Azevedo Neto WR, Azevedo Filho, Galhardo A, Generozo SR, Yamamoto JUS, RIGO NS, CAIXETA AM
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

 

Introdução:O Covid-19 é uma doença pro-inflamatoria sendo as  principais causas de complicações intra-hospitalares não pulmonares sao os fenomenos tromboticos , vide sindrome coronariana aguda , acidente vascular cerebral entre outros. 

Métodos

Estudo individuado observacional e transversal, com recolhimento de dados obtidos nos prontuários do serviço de hemodinâmica do Hospital São Paulo referente à idade, sexo, comorbidades, necessidade de oxigênio na admissão, D-Dímero quantitativo, proteína c reativa quantitativo (PCR-q) em 48h, cateterismo cardíaco com ou sem a colocação de stent e se houve evolução para óbito, de pacientes submetidos a cateterismo cardíaco em fase inflamatória da Sars-2-Covid no ano de 2020 por síndrome coronariana aguda.

Resultados

Do total de casos (n = 19), foi evidenciado que 78,9% possuem idade superior a 60 anos (n = 15) e que 52,6% dos casos são do sexo feminino (n = 10). Quanto as comorbidades, é demonstrado que 100% dos pacientes possuem hipertensão arterial sistêmica (n = 19) e que 52,6% apresentam, concomitantemente, diabetes mellitus (n = 10), sendo deste grupo 30% em uso de insulina e 70% sem uso de insulina.

Na admissão, 73,6% (n = 14) estavam em ar ambiente e em 15,8% (n = 3) houve a necessidade de realização de intubação orotraqueal. Laboratorialmente, 63% possuíam PCR-q superior ou igual 65 mg/l (n = 12) e 73,7% (n = 14) apresentavam D-Dímero superior ou igual a 1,00 ng/ml.

Dos procedimentos de cateterismo cardíaco, 36,8% (n = 7) houve a colocação de stent, sendo deste grupo 57,1% (n = 4) possuíam PCR-q superior ou igual a 65 e, ainda deste grupo, 42,9% (n = 3) são hipertensos, diabéticos e possuem PCR-q ou igual a 65 simultaneamente.

Do total de óbitos (n = 6), é revelado que 50% (n = 3) são hipertensos e diabéticos e que deste total de óbitos 33,3% cursam com PCR-q igual ou superior a 65, hipertensão e doença renal crônica dialítica (n = 2). Ademais é visto que 66,7% (n = 7) do total de óbitos possuem PCR-q igual ou superior a 65 mg/l e D-Dímero igual ou superior a 1,0

Conclusão

A proporção de idade adulto velho/maduro (40 até 60 anos) é de 21%, enquanto a de idosos (60 anos ou mais) é de 78,9%. Das comorbidades, a incidência da hipertensão arterial sistêmica é evidenciada em todos os pacientes, seguida de diabetes mellitus em 52,6% dos casos. A mortalidade hospitalar do estudo foi de 31,6%. Estudos futuros com uma amostra maior são necessários para demonstrar as características demográficas deste perfil de pacientes.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021