SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

PERFIL DO AUTOCUIDADO DE PACIENTES HIPERTENSOS VINCULADOS A AMBULATÓRIO DE ALTA COMPLEXIDADE

Maria Clara Moreira Matias Gonçalves, Vanessa Lucia Martins, Luiz Aparecido Bortolotto, Heno Ferreira Lopes, Renato Chiavegato, Jurema da Silva Herbas Palomo, Grazia Maria Guerra
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: A Hipertensão Arterial é uma condição clínica multifatorial e seu controle não tem atingido níveis adequados em todo o mundo. Justificativa: A adesão terapêutica é fundamental para o sucesso do tratamento e controle pressórico e o autocuidado parece ser essencial para a adesão ao tratamento e demais ações de controle de saúde. Além disso, a religiosidade demonstra ser um fator de impacto no autocuidado e o enfermeiro possui papel fundamental na promoção do autocuidado. Objetivos: caracterizar o nível de autocuidado de pacientes hipertensos em seguimento ambulatorial e correlacionar com o índice de religiosidade apresentado e com o controle pressórico verificado por meio da Medida Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e de valores de pressão arterial aferidos em consultório. Método: estudo descritivo e transversal com amostra composta por (n=17) participantes hipertensos vinculados a um ambulatório de alta complexidade pertencente a um hospital universitário de grande porte. A obtenção de dados ocorreu através de aplicação de instrumentos específicos e validados: Escala de Autocuidado de Hipertensão (SC-HI), que avalia o autocuidado em três dimensões - manutenção, manejo e confiança; e Escala de Religiosidade da Duke (DUREL), que avalia a religiosidade em três dimensões - organizacional (RO), não-organizacional (RNO) e intrínseca (RI).  A coleta dos dados ocorreu via contato telefônico e consulta a prontuário de saúde para acesso às demais informações. Resultados: A população do estudo foi predominantemente feminina (70,6%), com média de idade de 63,5±10 anos. A maioria 70,6% (12) referiu não possuir companheiro/a (viúvos, divorciados, separados e solteiros) e 47% (8) atestaram ser católicos. Os valores médios da pressão arterial de consultório foram 140,7±23mmHg no caso da pressão arterial sistólica (PAS) e 82,23±13mmHg no caso da pressão arterial diastólica (PAD). O déficit de autocuidado foi evidenciado na maioria dos participantes com destaque às dimensões de manutenção do autocuidado 58,8% (10) e de manejo no autocuidado 70,6% (12). Foi identificada correlação significativa e positiva entre a carga pressórica da PAS (r=0,55,p=0,02) e da PAD (r=0,58, p=0,01) durante o sono com a RI. Foi também identificada correlação negativa entre a RI e o descenso noturno da PAS (r=-0,56, p=0,01). Conclusão: A população do estudo apresentou expressivo déficit de autocuidado em todos as dimensões, com destaque para o déficit de manejo do autocuidado. Quanto à religiosidade, quanto maior o índice de RI, pior o controle da pressão arterial.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021