SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Persistência de sangramento gastrointestinal após correção valvar aórtica em paciente com Síndrome de Heyde.

Eliel Bezerra da Silva Junior , Ana Karolina Queiroz de Souza Ricardo, Antonio Fernando Barros Pereira Junior, Juliana Maria Bulhões Ferreira, Nícolas Amaro Barbosa, Sara Carolline Gomes de Araújo Lima, Vitoria Cruz Torres
HOSPITAL DO CORAÇÃO DE ALAGOAS - Maceió - AL - Brasil

Introdução: A síndrome de Heyde corresponde à associação entre estenose aórtica (EAo), sangramento gastrointestinal (GI) decorrente de angiodisplasia e um nível reduzido de fator de von Willebrand (FVW) no sangue. Sabe-se que até 40% dos pacientes que desenvolvem a síndrome apresentam EAo grave e que estes exibem um risco de sangramento cem vezes maior quando comparados a grupos de controle saudáveis. Desse modo, o objetivo do estudo é relatar um caso de Síndrome de Heyde, no qual a paciente submetida aoimplante percutâneo transcateter de válvula aórtica(TAVI), evoluiu com continuidade do sangramento GI. Descrição do caso: Mulher, 77 anos, foi admitida em um hospital no Estado de Alagoas com queixa de desconforto retroesternal em queimação, com irradiação para a região mentoniana. Além disso, referiu que há um ano iniciou dispneia aos esforços moderados com melhora ao repouso. Acrescentou que, há cerca de dois anos, apresentava ao menos três episódios de melena semanalmente, implicando o desenvolvimento de  um quadro de anemia persistente com necessidade de transfusões de concentrados de hemácias. Relata como comorbidades: hipotireoidismo, dislipidemia e ex-tabagismo há 40 anos (40 maços/ano). O exame físico mostrou frequência cardíaca de 65 bpm, frequência respiratória de 18 ipm, pressão arterial de 110 x 70 mmHg, ritmo cardíaco regular em dois tempos com sopro mesossistólico em foco aórtico (6+/6+) irradiando para a fúrcula e para o foco mitral. Exames de imagem prévios evidenciaram EAo importante, atendendo aos critérios para a realização da TAVI. Vale ressaltar, entretanto, que após o procedimento, houve a permanência do sangramento GI. Conclusão: A Síndrome de Heyde é uma condição clínica raramente encontrada. Apesar da pouca compreensão da EAo e da angiodisplasia intestinal, o reparo adequado da válvula aórtica deve resultar em melhora significativa do sangramento GI e de sua reincidência, assim como comprovado na literatura. Entretanto, devido à persistência do sangramento do trato GI, é necessário que haja, em longo prazo, a observação para verificar a correção da hemorragia, bem como mais discussões acerca de outras hipóteses que justifiquem a não resolução do caso pós-TAVI.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021