SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Pseudoaneurisma apical de ventrículo esquerdo corrigido por via endovascular: relato de caso

Aislan Henrique Bezerra Pinheiro, Diego Felipe Gaia dos Santos, Bruno Franco Mazza, Leonardo Paiva Ohashi, Luiz Augusto de Andrade Costa, Paulo Mateus Sanches de Souza, Wilma Noia Ribeiro, Carlos Alberto Teles, Walace de Souza Pimentel
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução: Pseudoaneurisma de ventrículo esquerdo é uma entidade rara e de diagnóstico clínico difícil, pois apresenta sintomas clínicos que são inespecíficos. Além da suspeita clínica, sua detecção demanda confirmação por métodos de imagens. O tratamento costuma ser intervenção cirúrgica ou percutânea realizado com brevidade devido ao risco elevado de ruptura com evolução fatal.        

Caso: Paciente de 64 anos, sexo masculino, com antecedente de doença arterial coronariana (infarto agudo do miocárdio e revascularização miocárdica cirúrgica há 12 anos), diabetes melito e insuficiência renal crônica dialítica, foi admitido por quadro de dispneia aos pequenos, iniciada há seis meses. Não apresentava queixa de dor torácica, síncope, ortopneia. No exame físico não foram detectadas alterações, exceto pela presença de um sopro sistólico em região apical (3+/6+). No ecocardiograma transtorácico detectou-se disfunção sistólica do ventrículo esquerdo de grau moderado e uma imagem sugestiva de ruptura da parede ventricular localizada em região apical, formando uma coleção pericárdica medindo aproximadamente 50mm x 40mm e com presença de trombo em seu interior. A ressonância nuclear magnética do coração confirmou a presença de pseudoaneurisma com dimensões de 6.1mm x 5.8mm x 3.9 mm. Devido ao risco iminente de ruptura com alta mortalidade e de embolização pela presença de trombo, foi indicada correção do pseudoaneurisma. O procedimento foi realizado através de intervenção endovascular por via axilar direita, pois o paciente apresentava risco elevado para reparo cirúrgico convencional (EUROSCORE II de 42,73%). A intervenção ocorreu sem complicações e o paciente recebeu alta em uso de dupla antiagregação plaquetária com acido acetilsalicílico 100mg/dia e clopidogrel 75mg/dia.

Conclusão: O presente caso de pseudoaneurisma de ventrículo esquerdo reforça a importância do diagnóstico precoce seguido do rápido tratamento dessa condição, impedindo a evolução desfavorável para ruptura. O reparo endovascular, por ser uma boa opção terapêutica quando há elevado risco cirúrgico, foi o método escolhido para tratar nosso paciente.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021