SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Um raro caso de rotura de aneurisma do seio de valsalva

Ana Vitória Vitoreti Martins, Marcela Santana Devido, Stephanie Ondracek Lemouche, Leina Zorzanelli , Ana Maria Thomaz , Ana Cristina Sayuri Tanaka , Maria Angélica Binotto, Nana Miura Ikari
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

 

INTRODUÇÃO :Os aneurismas do seio de Valsalva (ASV) são alterações cardíacas raras, e podem ser congênitos ou secundários a doenças infecciosas, traumas, doenças inflamatórias sistêmicas ou alterações do tecido conectivo.  A localização mais frequente é no seio coronariano direito (SCD). Os ASV não rotos são em sua maioria assintomáticos e seu diagnóstico constitui um desafio clínico. As fístulas ou rompimento dos ASV são complicações associadas a essas alterações.

 

 

MÉTODOS : Reportamos o caso de uma mulher de 21 anos, assintomática. Durante a realização de exame periódico do trabalho foi auscultado um sopro contínuo em borda esternal esquerda e solicitado um ecocardiograma transtorácico (ECOTT) que evidenciou ASV no SCD, com fístula para átrio direito (AD). A paciente permaneceu assintomática por 4 anos até que apresentou um episódio de síncope vasovagal após palpitações e foi encaminhada ao nosso serviço.Na ocasião negava dispneia ou dor torácica. Não apresentava outras comorbidades ou cirurgias prévias. ECOTT realizado em nosso serviço evidenciou AD com aumento de grau moderado e presença de ASV roto do seio coronário direito, com comunicação entre SCD e AD de aproximadamente 8,0 mm, fluxo aorta-AD com gradiente sistólico máximo de 180 mmHg (imagens 1,2 e 3).

 

 Imagem 1

 

 

 Imagem 2

 

 

Imagem 3

 

 

RESULTADOS :A paciente foi submetida a cirurgia eletiva e no procedimento foi visto que presença de aneurisma sacular roto de 10x8 mm no SCD. Foi realizado fechamento de aneurisma e do orifício no AD.  A cirurgia ocorreu sem intercorrências.O ECO TT realizado 5 dias após cirurgia  evidenciou oclusão de aneurisma aorta-AD com bom resultado cirúrgico e sem fluxo residual.Paciente evoluiu sem intercorrências no pós-operatório e recebeu alta 6 dias após cirurgia. 

 

 

CONCLUSÕES :O diagnóstico precoce dos ASV com indicação de tratamento cirúrgico é de fundamental importância a fim de evitar complicações de alto risco como fístulas ou rompimento dos aneurismas.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021