SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

ALTERAÇÕES PERFUSIONAIS NA CINTILOGRAFIA MIOCÁRDICA EM PORTADORES DE MARCAPASSO ARTIFICIAL

RODRIGO IMADA, ANTÔNIO FLAVIO ARAUJO MENDES, GUILHERME DE CARVALHO AMARO, ANDREA M G M FALCÃO, LIVIA O AZOURI , JOSÉ SOARES JUNIOR, WILLIAM AZEM CHALELA
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

O número de pacientes com marcapasso artificial (MP) vem aumentando progressivamente, tornando essa população cada vez mais frequente no ambulatório de cardiologia para estratificação de doença arterial coronariana. Pouco se sabe sobre os achados de alteração perfusional em exames de cintilografia de perfusão miocárdica (CPM) nessa população específica. OBJETIVO: Avaliar as alterações perfusionais em exames de cintilografia miocárdica em portadores de marcapasso artificial. MÉTODOS: Foram incluídos 801 pacientes com MP e que realizaram CPM com dipiridamol ou adenosina de 2016 a 2018. Foram analisados as características demográficas, dados do estresse farmacológico e resultados da CPM. Quando disponível no prontuário, foram analisados resultados da angiotomografia coronariana e cineangiocoronariografia. RESULTADOS: A média de idade foi de 69 ± 11,2 anos, as comorbidades mais frequentes foram hipertensão arterial (76,9%) e dislipidemia (74,5%) e medicação mais utilizada foi beta bloqueadores (74,0%). A média da fração de ejeção do ventrículo esquerdo avaliada na CPM foi de 49,1% ± 17,3. Dos 801 pacientes, 17,4% apresentaram somatório da diferença dos escores de estresse e repouso (SDS) maior que zero, sendo,  9,6% com extensão da isquemia mínima (SDS < 4), 4,7% pequena (4 ≤ SDS ≤ 6), 2,7% moderada (7 ≤ SDS ≤ 13) e 0,3% grande (SDS > 13). Observou-se maior prevalência de obstruções triarteriais nos pacientes com maiores alterações perfusionais, sendo presente em 7,8%, 15,8%, 36,4% e 100%, nos pacientes com extensão mínima, pequena, moderada e grande, respectivamente. Dentre os 24 exames sem lesões obstrutivas na angiotomografia ou cineangiocoronariografia, 16,7% apresentavam hipocaptação transitória na região septal, 54,2% anterior, 45,8% lateral e 41,7% inferior. CONCLUSÃO: Os pacientes que apresentaram maior extensão da isquemia miocárdica na cintilografia miocárdica apresentaram maior prevalência de lesões triarteriais, sugerindo que mesmo em pacientes com MP a cintilografia é uma ferramenta importante no diagnóstico de obstruções coronarianas. No entanto, foram observadas hipocaptações transitórias mesmo em pacientes sem lesões anatômicas significativas, podendo sugerir que o próprio MP esteja ocasionando alterações na perfusão.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021