SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

A música como estratégia de cuidado em pacientes cardiopatas: O que a sua música me diz?

Cinthia Gabrir da Fonseca Konaka , Lumena Almeida Castro Furtado
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução

Este trabalho objetivou analisar a música como via de trabalho, em atendimentos psicológicos com pacientes cardiopatas durante seu período de internação hospitalar. Cada participante foi convidado a escolher músicas como parte dos atendimentos. Foi analisado o que emergiu destes atendimentos psicológicos, nos sentidos e elaborações construídas pelos sujeitos ao trazer música para compor os encontros, o que o sujeito diz da música ou faz com ela, assim como o que resultou de ambos. Da análise  ressaltada a potência da música como um dispositivo no atendimento que facilitou a vinculação com a terapeuta e a elaboração das questões singulares com cada pessoa atendida. Tal via de trabalho convida a aposta da psicanálise em passagem do real pelo simbólico por via da palavra, seja ela dita ou invocada através da música.

A presente pesquisa surgiu no decorrer da Residência Multiprofissional de Cardiologia/UNIFESP, na qual a pesquisadora realizava atendimentos psicológicos nas Unidades de Cardiologia e Cirurgia Cardíaca do Hospital São-Paulo.

Método

Trata-se de uma pesquisa qualitativa. O presente trabalho se baseou no referencial teórico psicanalítico, buscando apreender sua referência teórica, clínica e ética e de teóricos da musicoterapia.

                                              Resultados

 

Os participantes evocaram questões constituintes das músicas como letra, ritmo, harmonia e acrescentaram até história da música e contexto histórico. Foi analisado como eles se emocionaram sem erguerem tantas barreiras protetivas como ocorre em outros contextos terapêuticos, e isso beneficia o paciente. Eles utilizavam as letras das músicas para emprestar-lhe as palavras, os personagens das canções para se identificar com suas figuras e/ou suas histórias e sentimentos. Os participantes foram nomeados fazendo alusão ao contexto desuas histórias da seguinte forma :Sanfoneiro, Água de coco, Missionária, Boiadeiro e Compositor.

Percebeu-se mobilização na equipe multiprofissional .

                                             Conclusão

O estudo realizado ajudou a mostrar que o processo de atendimento psicológico construído, utilizando a música enquanto ferramenta de trabalho, é possível e viável no ambiente hospitalar, evidenciando resultados terapêuticos com melhores efeitos aos envolvidos. Permite compreender que a intervenção musical como forma psicoterapêutica pode se mostrar como uma via de muitos braços, com uma plasticidade que permite tanto ao terapeuta quanto ao paciente encontrarem juntos uma forma que faça sentido para quem participa.

 

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021