SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

CARDIOMIOPATIA DE TAKOTSUBO INVERTIDO: UM RELATO DE CASO.

Luísa Martins Avena, Jéssica Araújo Amparado, Leonardo Pippa Gadioli, Andre Schmidt
FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO - Ribeirão Preto - SP - Brasil

INTRODUÇÃO: A síndrome de Takotsubo (ST) é um quadro de disfunção sistólica transitória e súbita do ventrículo esquerdo (VE) associada a alteração de mobilidade segmentar. A apresentação mais comum é associada a um balonamento apical do VE por hipercinesia da base ventricular, havendo, porém, variantes como a Síndrome de Takotsubo Invertido com acinesia basal e hipercinesia apicalDiversos mecanismos fisiopatológicos são propostos para a ST sendo o mais aceito a ocorrência de um stunning miocárdico mediado por catecolaminas desencadeado por estresse físico e/ou emocional.

RELATO DE CASO: Feminina, 39 anos, é atendida na Unidade de Emergência. Familiares relatavam que 7 dias antes da admissão a paciente iniciou com agitação, alucinação visual e delírio persecutório, além de picos febris. Realizada investigação para o quadro neurológico, com diagnóstico inicial de encefalite de etiologia a esclarecer. Na internação, paciente apresentou Edema Agudo de Pulmão com manejo clínico sem necessidade de medidas invasivas. Realizado ecocardiograma transtorácico (ECOTT) e vista presença de disfunção moderada de VE associada a alterações de mobilidade segmentar com hipocinesia importante de segmentos basais e médios e segmentos apicais com mobilidade normal, sendo interrogada a possibilidade de Síndrome de Takotsubo Invertido ou de Miocardite. Paciente não apresentou alterações eletrocardiográficas ou de marcadores de necrose miocárdica. Após o manejo agudo, foi realizada introdução de drogas para insuficiência cardíaca de fração de ejeção reduzida.  Apresentou melhora neurológica, sendo excluídas etiologias infecciosas, de intoxicação, de distúrbios metabólicos ou endocrinológicos. Na alta hospitalar foi encaminhada para seguimento ambulatorial e solicitada Ressonância Magnética do Coração (RMC) para diagnóstico diferencial dos achados ecocardigráficos. Exame foi realizado 02 meses após o evento e demonstrou desempenho sistólico biventricular preservado, câmaras cardíacas de dimensões normais e ausência de realce patológico, mantendo a principal hipótese diagnóstica de Síndrome de Takostsubo Invertido. Paciente com boa evolução clínica em relação ao quadro cardiológico e manterá seguimento ambulatorial. 

 

CONCLUSÃO: O relato descrito se destaca por demonstrar um caso de uma variante pouco frequente de ST, em uma paciente jovem e com um quadro clínico atípico, possivelmente associada a uma etiologia neuropsiquiátrica aguda. Neste caso, o papel da RMC associada ao ECOTT foi essencial para a realização do diagnóstico diferencial adequado.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021