SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

ASSOCIAÇÃO ENTRE INDICADORES DE SAÚDE MENTAL E AGRAVAMENTO DAS DOENÇAS EM PACIENTES COM DOENÇA ARTERIAL PERIFÉRICA DURANTE A PANDEMIA

PADALKO, N.M., ARRUDA, G.M.M., SANT'ANNA, F.S., Carvalho, J. F., Kanegusuku, H., Ritti-Dias, R. M. , Correia, M. A.
Universidade Nove de Julho - São Paulo - SP - Brasil, HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN - - SP - BRASIL

INTRODUÇÃO: Diante do contexto atual da pandemia do COVID-19, o isolamento social tornou-se uma das principais estratégias adotadas a fim de diminuir a disseminação do vírus, sobretudo entre as populações consideradas grupos de risco, como os pacientes com doença arterial periférica (DAP). No entanto, tal estratégia potencialmente promoveu o agravamento das doenças, especialmente naqueles com transtornos mentais, tais como depressão e ansiedade. O objetivo desse estudo foi analisar a associação entre indicadores de saúde mental (ansiedade, tristeza, estresse e depressão) e percepção de agravamento das doenças durante a pandemia do COVID-19 em pacientes com DAP.

MATERIAIS: Trata-se de um estudo observacional, transversal, do tipo Survey, em que foram incluídos 149 pacientes com DAP sintomáticos, de ambos os gêneros (59% homens), com média de 68 ± 9 anos. Os hábitos durante a pandemia foram obtidos por entrevista telefônica durante o período de maio a outubro de 2020. Foram avaliados os seguintes tópicos: a) indicadores de saúde mental; b) comportamentos gerais; c) hábitos alimentares; d) estilo de vida; e) atividade física; f) saúde em geral; g) doença arterial periférica. No que se referem à sensação de agravamento da DAP e aos indicadores de saúde mental, os questionamentos feitos foram: “Sentiu que a pandemia do COVID-19 agravou suas doenças?” e “Devido a pandemia do COVID-19, o(a) senhor(a) tem se sentido ansioso/triste/estressado/deprimido(a)?”. Para o teste de associação foi utilizado o teste qui-quadrado, seguido por regressão logística multivariada. Possíveis fatores de confusão foram sexo e idade. Valores com P<0,05 foram considerados significantes.

RESULTADOS: Pacientes com DAP relataram que durante a pandemia sentiram-se ansiosos (55%), tristes (34%), estressados (30%) e deprimidos (30%). Enquanto 15% dos pacientes relataram que, em decorrência da pandemia, houve um agravamento das suas doenças o que inclui a DAP. Houve associação entre a sensação de agravamento da doença com os índices de saúde mental ansiedade (P=0,009), tristeza (P=0,003), estresse (P=0,007) e depressão (P=0,007). Essas associações se mantiveram significantes após o ajuste por sexo e idade (P<0,011). CONCLUSÃO: Em pacientes com DAP há uma associação entre indicadores de saúde mental e a sensação de agravamento da doença durante a pandemia do COVID-19.

PALAVRAS-CHAVE: doença arterial periférica, saúde mental, covid-19.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021