SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

PNEUMOTÓRAX ESPONTÂNEO E INFARTO DO MIOCÁRDIO PÓS INFECÇÃO PELO SARS-COV 2 . UM RELATO DE CASO

André Eduardo dos Santos bayeh, Cristiano Simões, Loianny Moraes Silva , Lucas de Souza Brito, Valéria Tatyane de Rezende , Luciana Fernandes Balestra, Lesley Ferreira Rodrigues Themudo, Dayse Elisabeth Campos, Ana Carolina Vasconcelos Rezende , Ricardo Curado de Oliveira
HUGO - Goiania - GO - Brasil

INTRODUÇÃO:

A COVID-19 é uma doença infecciosa de caráter sistêmico com complicações agudas e crônicas. A presença de fatores de risco associa-se à gravidade na evolução de pacientes com COVID-19. O manejo inadequado de comorbidades é associado com piora do prognóstico e aumento no número de complicações.

O caso a seguir discorre sobre um paciente que desenvolveu pneumotórax espontâneo, pneumomediastino e enfisema subcutâneo sem pressão positiva; estes achados são raros, com poucos casos similares na literatura.

OBJETIVO:

Relatar caso de paciente com diagnóstico de COVID 19 com fatores de risco para morbimortalidade elevada que apresentou complicações respiratórias pouco comuns a evolução do quadro.

RELATO DE CASO:

Paciente, 71 anos, masculino, internado por dispneia leve e dessaturação por COVID 19. Hipertenso, em uso de anlodipino 5 mg/dia, sem acompanhamento clínico.

Permaneceu sem suporte ventilatório, mas evoluiu com pneumotórax espontâneo hipertensivo volumoso à direita, enfisema subcutâneo da região torácica bilateral até abdome inferior (sendo realizada drenagem tóracica em selo d’água), além de pneumomediastino moderado, tratado de forma não invasiva e com resposta satisfatória.

Durante o período de internação hospitalar desenvolveu outras complicações como abscesso isquiorretal direito e um episódio de SCA com supra de segmento ST em parede lateral alta com alteração da repolarização ventricular em parede anterior extensa.

DISCUSSÃO:

O pneumotórax é acúmulo de ar na cavidade pleural por quebra da integridade das pleuras e é classificado em espontâneo (primário ou secundário) e não espontâneo (traumático). O pneumotórax espontâneo primário ocorre geralmente em pacientes sem doença pulmonar subjacente; o secundário tende a ocorrer como complicação de doença pulmonar prévia4. O pneumomediastino é determinado pela presença de ar nos interstícios mediastinais, também classificado em primário ou secundário.

O paciente não estava em uso de ventilação invasiva e teve desenvolvimento de pneumotórax espontâneo. São apresentações incomuns a ocorrência de pneumotórax não relacionado a barotrauma, pneumomediastino espontâneo e enfisema subcutâneo.

Os prováveis mecanismos atribuídos a esse quadro são dano alveolar difuso por consequência do quadro infeccioso e repetidos episódios de tosse: com o aumento da pressão intratorácica levando a aumento de pressão intra-alveolar, pode-se gerar ruptura do alvéolo marginal levando a vazamento de ar para o interstício (com acometimento de estruturas peribronquiais e mediastinais)..

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021