SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Perfil hospitalar de internação por Arritmias Cardíacas no Brasil: Uma avaliação da última década

Vivian R S Silva , Mauricio G M Santana , Davi J Lopes, Maria K V S Santos , Beatriz S M Muniz , Rafaella T Barral , Márcio A B Filho , Catarina B A Rosier , Natália A Vasconcelos
EBMSP - Salvador - Bahia - Brasil

Introdução: Transtornos de Condução e Arritmias Cardíacas (TCACs) são disfunções que alteram o ritmo cardíaco aumentando ou diminuindo a sua frequência, e podem acarretar morte súbita. É uma condição que atinge mais de 20 milhões de brasileiros e leva a morte de mais de 320 mil por ano, tornando imprescindível a avaliação das características mais prevalentes nesses pacientes, com vistas em nortear estratégias e políticas em saúde para o combate dessa realidade. Nesse contexto, o presente estudo visa analisar o perfil epidemiológico de morbimortalidade das internações por TCACs no Brasil. Métodos: Estudo descritivo, transversal, retrospectivo e quantitativo, realizado a partir de dados obtidos no Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIHSUS), referente ao período 2011 a 2020. Foram analisados o número total de óbitos e a taxa de mortalidade e o número de internações por região, cor/raça, sexo, e faixa etária, no período referido. Resultados: No recorte temporal, foram coletados 613.002 internamentos por TCACs, com média e desvio padrão de (61.300,2 ± 3968,5). Nesse período, observa-se que a mortalidade dos pacientes internados com essa condição se comportou de modo crescente, registrando menor porcentagem em 2011 (8,1%) e a maior em 2020 (14,3%). Estudando sobre o perfil dessas internações, obtêm-se preponderância de idosos acima de 60 anos, com 66,5% (n=408.111) enquanto 3,5% apresentam faixa etária inferior a 19 anos (n=21.689). Pessoas de raça/cor branca foram internadas em maior quantidade, com 46,1% (n=282.872) e o menor número foi representado pela raça indígena, com 0,03% (n=209). Quanto a regionalidade das internações, observou-se que a região sudeste apresentou aproximadamente metade dos registros, com 49,6% (n=304.416), enquanto a região norte apresentou a menor taxa, representando 3% (n=18.662). A distribuição entre os gêneros se comportou de modo que pacientes do sexo masculino foram mais internados por TCACs, em 51,8% dos casos (n=317.755) enquanto o gênero feminino apresentou 48,2% (n=295.247). Conclusão: O presente estudo indica uma crescente taxa de mortalidade entre os pacientes internados por TCACs no recorte de tempo apresentado. Ademais, observa-se a grande concentração de internações com essa causa primária na região sudeste, principalmente de pacientes idosos (60 anos ou mais), de cor branca e do sexo masculino. Essa análise epidemiológica permite um melhor direcionamento de políticas de saúde, para o combate da morbimortalidade dessa condição e, por conseguinte, melhor gestão dos recursos disponíveis.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021