SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

SÍNDROME DO SEIO CAROTÍDEO TRATADO MEDIANTE CARDIONEUROABLAÇÃO

JM. Cayo Montes, JC Pachón , Enrique I. Pachón, Juan Pachón , Y. Flores T , Tomas G.S., J. Zerpa A. , C. T. Cunha P.
HOSPITAL DO CORAÇÃO - - SP - BRASIL

INTRODUÇÃO: A síndrome do seio carotídeo (SSC) tem impacto na qualidade de vida, aumentando a morbidade e mortalidade, principalmente por trauma decorrente de queda. Relatamos o caso de uma paciente de 66 anos com episódios de pré sincope e síncope precedidos de náuseas, tontura e escurecimento visual, relacionado com mudanças na posição da cabeça, exame físico normal, eletrocardiograma e holter de 24 horas sem alterações, ecocardiograma com disfunção diastólica grau I, Tilt teste mostra assistolia >3 segundos associado a síncope após realizar massagem do seio carotídeo, a ultrassonografia de carótidas identificou pequenas áreas de ateromatose calcificada em bulbos carotídeos sem repercussão hemodinâmica, posteriormente realizado estudo eletrofisiológico (EEF) sem achados anormais, durante o mesmo foi realizado estudo cardioneurofuncional onde se observou acentuada resposta cardioinibitoria à estimulação vagal extracardíaca (EVEC), também se reproduziu assistolia de 5,8 segundos durante massagem do seio carotídeo (MSC) direito, essas respostas foram totalmente revertidas após infusão de atropina. Baseado nesses achados optou-se por realizar a cardioneuroablacão (CNA) como alternativa ao implante de marcapasso, obtendo-se excelente resultado imediato e a longo prazo.

MÉTODOS: Realizado a CNA para tratar a síncope, modulando a resposta cardioinibitoria mediada pelo reflexo vasovagal e desencadeada pela estimulação do seio carotídeo. O procedimento foi feito mediante o mapeamento das regiões de gânglios parassimpáticos cardíacos e os ninhos de FA com ajuda do sistema de mapeamento eletro anatômico identificando potenciais fracionados. Posteriormente essas áreas são tratadas com ablação por radiofrequência (RF), reduzindo-se desta forma a influência vagal sobre o nó sinusal e nó AV, suprimindo a resposta vagal cardioinibitoria. A EVEC é utilizada durante o procedimento para avaliar passo a passo a resposta à CNA e ao final do procedimento confirma a denervação vagal.

RESULTADOS: Foi observado um aumento da frequência cardíaca 60→79bpme aumento do ponto Wenckebach 130→167bpm. O tilt teste realizado após 12 meses de evolução, incluindo-se MSC, não mostrou assistolia nem síncope, no acompanhamento a longo prazo a paciente se mantém assintomática.

CONCLUSÕESA SSC com reposta cardioinibitoria pode ser tratada por CNA, sem implante de marcapasso. A estimulação vagal extracardíaca é fundamental para avaliar a denervação vagal passo a passo. O teste de atropina é importante na seleção do paciente e para antecipar o resultado.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021