SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Associação do envelhecimento vascular precoce com a presença e gravidade da doença arterial coronariana pelo escore de Gensini em pacientes submetidos à angiografia coronária

NADJA NATIVIDADE SOTERO MENDES, VALERIA COSTA-HONG, EVA KOSA, STEFANO GARZON, PEDRO LEMOS, LUIZ APARECIDO BORTOLOTTO
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: Marcadores de envelhecimento vascula, como velocidade de onda de pulso aórtica (VOP), espessura íntima-medial da carótida (EIM) e índices da pletismografia digital são relacionados com aterosclerose. Não há estudos comparativos destes marcadores na associação com doença arterial coronária (DAC). Objetivo: Identificar parâmetros arteriais marcadores de envelhecimento vascular precoce, obtidos por três métodos não invasivos, correlacionados com a presença e gravidade da DAC pelo escore de Gensini em pacientes prospectivamente submetidos à angiografia coronária. Métodos:Análise retrospectiva de banco de dados de projeto que avaliou propriedades arteriais em pacientes com suspeita de. Parâmetros arteriais obtidos : VOP - método Complior®; EIM, diâmetro interno e distensibilidade de artéria carótida - ultrassom com rádio frequência (Wall Track System®); índices da análise da segunda derivada da pletismografia digital. Imagens das angiografias coronárias foram recuperadas para análise do Escore de Gensini, e a presença de DAC foi considerada quando o escore ≥ 1 (grupo DAC). Indivíduos com escore de Gensini=zero constituiu grupo não-DAC. Para a comparação estatística das variáveis arteriais do grupo DAC com o grupo não-DAC foram utilizados teste t-student e teste de Mann-Whitney quando apropriado, e análise de regressão logística para identificar parâmetros independentes relacionados a presença de DAC. Resultados:Avaliou-se dados de 69 pacientes, idade média 58,4±8 anos, 52% de homens, 85% com hipertensão arterial, 36% com diabetes e 50% com tabagismo. A presença de DAC pelo Escore de Gensini foi observada em 44 pacientes (Grupo DAC), que teve maior porcentagem de homens que o grupo não-DAC (59% vs. 28%, p<0.05), sem diferenças nos demais parâmetros clínicos. Em relação aos parâmetros arteriais, a única diferença significativa foi observada com o diâmetro interno de carótida, significativamente maior no grupo DAC do que no grupo não-DAC  (7758.2 vs. 7009.0 µm , p < 0.05). Na análise multivariada, a chance de apresentar doença arterial coronária pelo Escore de Gensini aumenta em 6,7% a cada aumento de 100 µm do diâmetro interno da carótida independente do sexo e de outros fatores de risco. Observou-se correlação significativa entre o diâmetro da carótida e o Escore de Gensin (r=0.289, p=0.02). Conclusão:Entre os parâmetros arteriais marcadores de envelhecimento vascular precoce avaliado por três métodos diferentes, apenas o diâmetro interno da carótida foi significativamente associado a presença e gravidade de doença coronária pelo Escore de Gensini.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021