SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

PATCH BIODEGRADÁVEL COM CONDUTOR ELÉTRICO SOBRE INFARTO DE RATOS: HÁ MELHORA NO REMODELAMENTO MIOCÁRDICO?

Lindemberg da Mota Silveira Filho, Fernanda Gomes Leite, Juliana Fonzar Marana, Luiza Tavares de Sá, Helison Rafael do Carmo, Denise Grotto, Marcus Vinicius Chaud, Daniela Diogenes Carvalho
Universidade de Campinas - Campinas - SP - Brasil, Universidade de Sorocaba - Sorocaba - SP - Brasil

Introdução: O implante de materiais biodegradáveis sobre o coração para induzir melhora no remodelamento miocárdico, com ou não ao uso de células tronco, é um linha de pesquisa promissora para a regeneração do miocárdio. A utlização de biomateriais na forma de patches sobre a área infartada tem promovido melhora no remodelamento miocárdico mesmo sem o implante de células associadas. A associação de agente condutor elétrico pode aumentar a quimiotaxia de células sobre a região que recebe o implante. Objetivo: verificar se a associação do condutor elétrico polianilina (PANi) a um patch biodegradável de colágeno-fibroína de seda (COL-SF) pode melhorar o remodelamento miocárdico em corações infartados de ratos. Método: Ratos foram submetidos a IAM por ligadura da AIA e duas semanas depois tiveram área de infarto >25% confirmada por ecocardiografia. Foram submetidos a nova toracotomia e randomizados em 3 grupos (n=10 por grupo): 1) Implante de patch de COL-SF sobre área infartada, 2) Implante de patch de COL-SF-PANi sobre área infartada; 3)Controle infartado. Nenhum componente celular foi implantado. Echocardiografia foi realizada no pré-tratamento e a 2, 4 e 8 semanas após quando os corações foram coletados para análise em modelo de coração isolado Langendorf e histologia para cálculo da área de infarto. Amostras de sangue para análises bioquímicas, hematológicas e de estresse oxidativo foram realizadas. Resultados: Não houveram diferenças entre os grupos nos parâmetros hemodinâmicos aferidos no Langendorf e no estresse oxidativo mensurado pela gluatationa reduzida. Todos os animais sofreram IAM transmural. Houve tendência de menor área proporcional de infarto entre os animais que receberam patches comparados com controle (p=0,067) e a espessura de VE foi maior nos animais com patch que o controle (p=0,003). Frações de encurtamento e ejeção cairam no grupo controle entre 8 semanas (p=0,025 e p=0,01 respectivamente), mas não nos animais que recberam qualquer tipo de patch. Comparando os dois patches, apenas aquele com PANi apresentou frações de encurtamento e de ejeção maiores que o controle após 8 semanas (p<0,05). Enzimas hepáticas e albumina séricas foram maiores no COL-SF-PANi patch. Conclusões: Ambos os patches foram seguros e apresentaram melhores parâmetros histológicos. Apenas o COL-SF-PANi apresentou parâmetros ecocardiográficos melhores que o controle após 8 semanas. Estes resultados demonstram melhora discreta do remodelamento miocárdico com a associação da polianilina ao patch

 

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021