SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

A anemia pré-operatória é preditora independente de mortalidade em 30 dias pós-CRM e melhora a acurácia preditiva do EuroScore II

Rösler AM, Constantin G, Nectoux PR, Holz BS, Gustavo SF, Letti E, Sales MC, Lucchese FA
Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre - Porto Alegre - RS - Brasil

Introdução: o impacto da anemia pré-operatória nos resultados da cirurgia cardiovascular já foi demonstrado por alguns autores. Alguns estudos observaram piores resultados cirúrgicos em pacientes anêmicos, porém, em outros, nenhuma diferença foi observada. Além disso, o impacto que a inclusão de anemia ou hemoglobina teria em um modelo de risco como o EuroScore II ainda não é conhecido. Nosso objetivo foi avaliar o impacto da anemia pré-operatória sobre a mortalidade em 30 dias pós-CRM e comparar a acurácia preditiva do EuroScore II com e sem a inclusão dos níveis de hemoglobina no modelo. Métodos: coorte prospectiva com 2.168 pacientes incluídos consecutivamente entre janeiro de 2010 e dezembro de 2020. Todos os pacientes foram submetidos à CRM isolada com CEC. Os pacientes foram estratificados em dois grupos de acordo com a classificação da OMS para anemia. Grupo Sem Anemia (1301 - 60,1%) - Grupo Anemia (867 - 39,9%). O plano estatístico incluiu análise descritiva, univariada e multivariada. As análises de regressão logística foram utilizadas para avaliar preditores de mortalidade e gerar probabilidades associadas à acurácia preditiva do EuroScore II. As probabilidades foram analisadas por meio de curvas ROC e o teste de DeLong foi utilizado para comparar as curvas. Resultados: os pacientes anêmicos tinham maior média de idade e tinham maior prevalência de comorbidades, tais como: diabetes, insuficiência renal, tabagismo, ICC classe III ou IV e maior média do EuroScore II (p<0,05). Ao comparar a mortalidade entre os grupos, foi observada uma taxa significativamente maior no grupo anêmico (2,2%vs5,4%; p<0,001). Dada a heterogeneidade dos grupos, foi aplicado um modelo de regressão logística ajustado. Os resultados do modelo multivariado demonstraram que a anemia pré-operatória foi um preditor de risco independente para a ocorrência de óbito em 30 dias (OR: 1,82; IC 95% 1,09 - 3,04; p = 0,022). Além disso, pudemos verificar que a adição de hemoglobina pré-operatória ao EuroScore II resultou em uma acurácia preditiva significativamente maior quando comparada à acurácia preditiva do escore isolado (AUCs: 0,732 vs 0,709; p=0,032). Conclusões: a anemia pré-operatória foi preditora de risco independente para a ocorrência de óbito em 30 dias pós-CRM. Também pudemos verificar que a adição dos níveis de hemoglobina pré-operatória ao EuroScore II resultou em acurácia preditiva significativamente maior, melhorando o desempenho do modelo de risco cirúrgico.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021