SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

EFEITO HIPOTENSOR DO PROGRAMA DE MUDANÇA DO ESTILO DE VIDA: ASSOCIAÇÃO ENTRE VO2MÁX E INDICADORES HEMODINÂMICOS EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS

Ferron, AJT, Kano, HT, Mansano, BA, Sarzi, F, Paula, BH, Francisqueti-Ferron, FV, Moreto, F, Nakagaki, MS, Corrêa, CR, Burini, RC
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - - SP - BRASIL, PPG-Patologia - UNESP - Botucatu - São Paulo - Brasil

Introdução: Alterações hemodinâmicas como a hipertensão arterial sistêmica(HAS) e  elevado duplo-produto aumentam progressivamente o risco para doenças cardiovasculares(DCVs). Indivíduos sedentários e com baixa capacidade cardiorrespiratória são mais susceptíveis a este conjunto de doenças, assim, programas de mudança do estilo de vida com a prática de exercícios físicos são fundamentais na prevenção e tratamento das DCVs. Portanto, o objetivo do estudo foi verificar o efeito hipotensor de dez semanas do programa de mudança do estilo de vida e a associação entre a capacidade cardiorrespiratória e indicadores hemodinâmicos de indivíduos hipertensos. Método: foram avaliados 113 indivíduos, 49 homens e 64 mulheres(40-75 anos de idade), em momento basal e após 10 semanas do programa de mudança do estilo de vida "Mexa-Se Pró-Saúde"(2015-2019), conduzido pelo Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição - UNESP/Botucatu. O programa introduz a prática de exercícios físicos combinados, no qual consistiu de exercício aeróbio[10min aquecimento + 30min a 70-80% do consumo máximo de oxigênio(VO2máx)] mais 40min de musculação(3x12repetições; 70-80%-repetição máxima), concluindo com 10min de alongamento. Foram avaliados: nível de atividade física, Índice de Massa Corporal, capacidade cardiorrespiratória(VO2máx) e indicadores hemodinâmicos. Os dados foram expressos por medidas de posição e variabilidade. Foi realizado teste t pareado ou de Wilcoxon. Para as correlações foram utilizados os testes de Pearson ou Spearman, com p<0,05. Resultados: Houve redução da frequência cardíaca de repouso(p<0,001), da pressão arterial sistólica(p<0,001), diastólica(p=0,04), do duplo-produto(p<0,001); aumento do VO2máx(p<0,001) e do tempo de esteira(p=0,01). O VO2máx apresentou correlações inversas com duplo-produto(r= -0,91; p<0,001), frequência cardíaca de repouso(r= -0,97; p<0,001), e pressão arterial sistólica(r= -0,73; p<0,001) e diastólica(r= -0,57; p=0,001); e correlação positiva com nível de atividade física(r=0,96; p<0,001), proporcionando a normalização da HAS em 45,1% dos indivíduos. Conclusão:  O programa de mudança do estilo de vida, como estratégia não farmacológica, melhora a capacidade cardiorrespiratória associada a efeitos hemodinâmicos positivos concomitante à normalização da HAS.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021