SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Síndrome Coronariana Aguda e Ponte Miocárdica: prevalência e epidemiologia

Isabela Pavan Alves, Lincoln de Machado e Castro, Igor Ramon de Melo Batista, Michelle Gonçalves Birtche, Ilna Márcia Oliveira Rocha, Maria Aparecida de Carvalho Campos, Vinicíus Nasser de Carvalho, Attílio Galhardo, Adriano Caixeta
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução: A ponte miocárdica (PM) é uma condição que envolve as artérias coronárias e leva a uma compressão de um segmento arterial durante a sístole cardíaca. A presença da PM é geralmente incidental e majoritariamente benigna; todavia, pode se apresentar como uma forma mais grave, incluindo uma Síndrome Coronariana Aguda (SCA). Nosso objetivo foi analisar a prevalência de ponte miocárdica na artéria descendente anterior (ADA) em casos de infarto agudo do miocárdio (IAM) com supradesnivelamento de ST de parede anterior e analisar sua distribuição quanto a gênero e faixa etária.

Métodos: Os dados de 717 prontuários de pacientes com SCA e que foram atendidos de 01/07/2020 a 31/03/2021 foram revisados e analisados de acordo com a apresentação clínica da SCA, a presença de PM em ADA (Imagem 1), a presença de aterosclerose em ADA, o gênero e a idade.

Resultados: Dos 717 pacientes analisados, 241 (33,6%) apresentavam IAM com supradesnivelamento de ST. Desses 241, 5% tinham PM em ADA, sendo 1,7% com aterosclerose significativa (estenose > 70%) e 3,3% sem aterosclerose ou com estenose <70%. Dentre os com PM e com aterosclerose, 100% eram homens e a faixa etária média era de 65,2 anos. Dentre os com PM e sem aterosclerose, 75% eram homens e 25% mulheres, com média de idade de 54,5 e 62,5, respectivamente.

Conclusão: A ponte miocárdica é uma condição importante como diagnóstico diferencial na SCA, estando presente em 5% dos casos de IAM com supradesnivelamento do segmento ST na parede anterior e a sua presença independe de aterosclerose coronariana. Com relação ao perfil dos pacientes, observa-se um maior diagnóstico em homens, possivelmente por ser o grupo mais acometido por doença cardiovascular e, consequentemente, mais submetido ao cateterismo cardíaco, o que possibilita o diagnóstico dessa condição. Ademais, a identificação da PM como causadora, ou ainda como potencial contribuinte da sintomatologia da SCA, é de suma importância para o melhor tratamento desses pacientes.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021