SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

ANÁLISE DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE INTERNAÇÕES POR INSUFICIÊNCIA CARDÍACA NO ESTADO DO CEARÁ NOS ÚLTIMOS 05 ANOS

MOREIRA, BM, COSTA, BSL, Teles, Diniz, DR, LUZ, DS, COURA, KA, JÚNIOR, LCVB, SOARES, SFB
Centro Universitário de João Pessoa - João Pessoa - PB - Brasil, Faculdade Ciências Médicas - João Pessoa - PB - Brasil, Faculdade de Medicina Nova Esperança - João Pessoa - PB - Brasil

Introdução: A Insuficiência Cardíaca (IC) é uma síndrome clínica habitual e complexa, de etiologia variada, determinada pela inabilidade do coração em bombear sangue a uma pressão normal de maneira a cumprir as necessidades metabólicas dos tecidos devido a uma disfunção estrutural ou funcional, tendo relevância nas internações hospitalares. O objetivo desse trabalho é avaliar a epidemiologia das internações por IC no estado do Ceará afim de traçar o perfil de internação e mortalidade. Métodos: Realizada uma coleta de dados disponíveis na plataforma DATASUS, entre janeiro de 2016 e janeiro de 2021 no estado de Ceará, de caráter retrospectivo e natureza quantitativa a respeito do número de internações, sexo, faixa etária, óbitos e taxa de mortalidade de pacientes com IC. Resultados: No período observado, foram realizadas 34.183 internações devido IC no estado do Ceará, e desses, 3.733 foram a óbito, obtendo-se uma taxa de mortalidade de 10,92%. Em relação a idade, o maior número das internações deu-se na faixa etária (FE) de 70 a 79 anos (9.016), correspondendo a 26,37% do total (34.183). Considerando o número de óbitos, a FE de 70 a 79 anos revelou o número de 1.030, referente a 27,59% do total. No entanto, o maior número de óbitos foi da FE de 80 e mais (1.292) correspondendo a 34,61% do total (3.733), tendo apresentado o segundo maior número de internações de 7.848 (26,37%). Em relação ao sexo, 19.730 foram do sexo masculino (M) e 14.453 do sexo feminino (F). O M apresentou 1990 óbitos contrapondo 1743 óbitos do F, evidenciando taxa de mortalidade de 10,08% e de 11,98% respectivamente. Considerando a cor/raça, a maior parte são de pardos (18.985), 55,53% do total (34.183). A cor branca totalizou 2.063, a cor amarela 574, a cor preta 163, 34 indígenas e 12.364 não foram informadas. Dos que especificaram cor/raça os pardos obtiveram o maior número de óbitos (1.515), porém a cor preta apresentou a maior taxa de mortalidade (12,88%). O maior número de óbito e de mortalidade foi dos que não informaram sua raça/cor, sendo respectivamente 1.896 e 15,33%. Conclusões: Conclui-se, portanto, que os paciente internados por IC no estado do Ceará tendem a ser do M, FE entre 70 a 79 anos e da cor parda. Porém indivíduos do F, com FE de 80 anos e mais e de cor preta estão associados a maior taxa de mortalidade quando em internação por IC. Ademais, faz-se necessário um registro mais preciso em relação a cor/raça dos pacientes para que se possa desenhar um melhor perfil de mortalidade por internação por IC tendo em vista o grande número de pacientes que não a informaram.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021