SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Utilidade do ECG para Detecção da Hipertrofia Ventricular Esquerda em Pacientes Idosos com Bloqueio de Ramo Esquerdo Verdadeiro

Caio de Assis Moura Tavares, Nelson Samesima, Felippe L Neto, Ludhmilla A Hajjar, Lucas C. Godoy, Eduardo Hirano, Mirella Facin, Wilson Jacob Filho, Michael E. Farkouh, Carlos Alberto Pastore
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL, UfT - Toronto - Ontario - Canadá

Introdução: A utilidade de critérios do ECG para detecção da hipertrofia ventricular esquerda (HVE) em pacientes com bloqueio de ramo esquerdo (BRE) é incerta. Recentemente, critérios mais rigorosos para definição de BRE foram propostos, atrelados a terapia de ressincronização cardíaca, e a performance do ECG para detecção de HVE neste subgrupo de pacientes ainda não foi estudada.

Métodos: Estudo unicêntrico, retrospectivo, de Jan/2017 a Mar/2018, com inclusão de pacientes com ≥ 70 anos, ECG e ecocardiograma realizados em intervalo de tempo menor que 6 meses. A performance diagnóstica e utilidade clínica de dez critérios eletrocardiográficos foram comparados, utilizando o ecocardiograma como padrão-ouro. Os critérios ECG foram avaliados por dois cardiologistas, cegos para o desfecho, e discordâncias resolvidas por um terceiro cardiologista.

Análise Estatística: Sensibilidade, especificidade, valores preditivos, razões de verossimilhança e área sob a curva (AUC) foram calculados para cada um dos critérios utilizando o ecocardiograma como padrão-ouro. Coeficientes de correlação de Pearson entre os critérios de ECG e índice de massa do ventrículo esquerdo também foram calculados. O modelo de curva de decisão foi utilizado para avaliar individualmente o impacto que cada critério poderia ter na prática clínica.

Resultados: 4621 pacientes foram avaliados, com inclusão de 68 pacientes com BRE conforme proposto por Strauss. Média de idade de 78,4 anos (IIQ 73,3-83,4) e 73,5 % com hipertensão. Nenhum critério ECG obteve discriminação adequada com AUC entre 0,54-0,67.  Não houve também, balanço adequado entre sensibilidade e especificidade (Tabela) ou um valor preditivo negativo maior que 80% entre nenhum dos critérios de ECG. Correlação entre todos os critérios de ECG e o índice de massa ventricular esquerda foi moderado (R=0,40-0,53; todos com p<0,001) Na análise da curva de decisão (Figura), nenhum critério apresentou benefício líquido em relação a estratégia de realização de ecocardiograma para todos os pacientes, dentro os limiares de probabilidade testados (10-60%). 

Conclusão:  ECG não possui acurácia diagnóstica nem utilidade clínica para detecção de HVE em pacientes com BRE definido pelo critério de Strauss e não deve ser utilizado rotineiramente nesta população.

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021