SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Perfil clínico, angiográfico e complicações de pacientes com internação prolongada após angioplastia primária em hospital universitário do triângulo mineiro

Achilles Gustavo Silva, Michel Hamui Sallum
UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Uberaba - MG - Brasil

FUNDAMENTO: Presença de algumas características clínicas na admissão e ocorrência de complicações durante internação estão relacionadas com morbidade e mortalidade de pacientes atendidos com diagnóstico de infarto agudo do miocárdio. A estratificação de risco e identificação dessas variáveis associado à adoção de medidas terapêuticas podem cursar com redução expressiva do tempo de internação e mortalidade intra-hospitalar.O objetivo desse estudo foi avaliar perifl clínico, angiográfico e complicações de pacientes submetidos à angioplastia primária e que tiveram internação prolongada (mais de 10 dias).

MÉTODOS: Foram avaliadas as angioplastias coronárias e prontuários eletrônicos de pacientes submetidos à angioplastia primária de 18 de março a 18 de setembro de 2019 e 2020 no Hospital de Clínicas da UFTM. Os dados foram organizados em tabela de excel. As variáveis qualitativas foram expressas por meio de distribuição de freqüências e as quantitativas como médias e desvio-padrão. Foi utilizado programa estatístico Prism 5.

RESULTADOS: Foram avaliados 163 pacientes submetidos à angioplastia coronária primária dos quais 23(14,1%) tiveram internação prolongada. Desses, 15(65,2%) eram do sexo masculino e média de idade foi 64,1(±9,7). Tempo de internação foi de 17,3(±6,4) dias e 6(26%) foram admitidos fora de janela terapêutica. Tempo de dor foi 273,3(±179,2) minutos e 12(52,1%) apresentaram-se com Killip 2-4. As ocorrências de hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, e DAC prévia foram respectivamente (60,8%, 13%, 39,1% e 8,6%). Diagnóstico de IAM de parede anterior foi encontrado em 56,5%, disfunção importante de VE em 61,9% e taxa de sucesso da angioplastia primária de 95,4%, com 1(4,3) PCR durante procedimento e 54,5% submetidos a 2 ou mais intervenções. Não houve complicação vascular, implante de marcapasso, sangramento digestivo nem AVC sendo que 3(13%) apresentaram arritmia ventricular e 2(8,6%) fibrilação atrial. Nessa casuística, 9(39%) tiveram infecção pulmonar, 8(34,7) usaram drogas vasoativas e 6(26%) ventilação mecânica.

CONCLUSÃO: Infarto de parede anterior, disfunção de ventriculo esquerdo, Killip de 2-4 e necessidade de mais de 2 intervenções são encontrados em mais da metade dos pacientes com internação prolongada e infecção pulmonar foi a complicação mais observada em nossa casuística. A identificação dessas características, avaliação de indicadores e o desenvolvimento de protocolos podem cursar com menor tempo de internação, melhores resultados clínicos e diminuição de custos com tratamento de pacientes submetidos à angioplastia primária.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021