SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

EXISTEM DIERENÇAS NOS NÍVEIS DE MOTIVAÇÃO E ENGAJAMENTO DE PACIENTES COM MENOR E MAIOR OCORRÊNCIA DE SINAIS E SINTOMAS EM UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR?

Jessica Malek da Silva, Paula Fernanda da Silva, Mayara Moura Alves da Cruz, Luiz Carlos Marques Vanderlei
UNESP - Faculdade de Ciências e Tecnologia - Presidente Prudente - SP - Brasil

Introdução: Apesar dos benefícios, programas de reabilitação cardiovascular (PRCV) têm sido associados à ocorrência de sinais e/ou sintomas, o que pode estar relacionado à características clínicas, físicas e/ou psicológicas dos participantes.  Sabendo que a motivação e o engajamento sofrem influência dos aspectos psicológicos, pretendemos nesse estudo analisar e comparar essas variáveis em participantes de um PRCV agrupados em relação à ocorrência de sinais e/ou sintomas. Materiais e Métodos: Foram analisados dados de 72 pacientes (65,91±11,54 anos; 6,22±4,12 kg/m²), maiores de 18 anos, independente do sexo, participantes de um PRCV a pelo menos 3 meses. Inicialmente, os pacientes responderam a uma ficha de avaliação para a identificação dos sinais e/ou sintomas referentes aos últimos 3 meses do PRCV. Posteriormente, responderam o Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire 3 (BREQ-3) e a Escala de engajamento (UWES), composta por 3 subescalas “Vigor”, “Absorção” e “Dedicação”, para avaliar os níveis de motivação e engajamento, respectivamente. Em seguida, os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com o número de sinais e/ou sintomas: ≤1 sinal/sintoma (G1) e ≥2 sinais/sintomas (G2). Para comparação entre os grupos foi aplicado o Teste de Mann-Whitney, de acordo com a normalidade (Teste Kolmogorov-Smirnov) (p<0,05). CAAE: 88504718.0.0000.5402. Resultados: Houve um predomínio do sexo masculino em ambos os grupos (G1= 67,74%; G2= 53,65%), sem diferenças em relação a idade, sexo e IMC. Em relação à motivação, o G2 apresentou menor pontuação geral (99,85 vs. 96,61; p=0,027) e score (4,30 vs. 4,21; p=0,031). Quanto ao engajamento, os grupos não apresentaram diferenças significantes, exceto para o item “Vigor” que foi maior no G2 (6,33 vs. 6,83; p=0,016). Conclusão: Participantes com maior ocorrência de sinais e/ou sintomas apresentaram menores níveis de motivação e maior vigor no tratamento em comparação a participantes com menor ocorrência de sinais e/ou sintomas.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021