SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

A FUNÇÃO ENDOTELIAL E O CONTROLE AUTONÔMICO CARDÍACO FORNECEM INFORMAÇÕES PROGNÓSTICAS PRECOCE EM PACIENTES COM COVID-19: UM ESTUDO DE COORTE

MURILO REZENDE OLIVEIRA, Guilherme Dionir Back, Cássia da Luz Goulart, Bianca Cristina Domingos, Ross Arena, Audrey Borghi-Silva
Universidade Federal de São Carlos - São Carlos - SP - Brasil

Introdução: Devido as repercussões da COVID-19 no sistema cardiorrespiratório, torna-se de grande importância a avaliação precoce dos pacientes infectados. A partir de técnicas simples, validadas e diretas é possível avaliar taxas preditivas de complicações cardiorrespiratórias e mortalidade. Portanto, este estudo justifica-se na tentativa de avaliar o poder desses índices para avaliação prognóstica de complicações e tempo de internação e, assim, atuar preventivamente no tratamento. Objetivo: Avaliar precocemente a influência dos índices de controle autonômico cardíaco e função endotelial na mortalidade de pacientes internados com suspeita e diagnóstico de COVID-19. Métodos: Estudo de coorte, envolvendo 180 pacientes com COVID-19 confirmado e descartado, mas com sintomas respiratórios a partir do teste RT-PCR. Os índices autonômicos no domínio do tempo, da frequência e índices não lineares foram obtidos a partir dos intervalos R-R durante 10 min por um cardiofrequencímetro (Polar S810i). A função endotelial foi avaliada pela FMD da artéria braquial, por meio de imagens ultrassonográficas e os índices da FMD absoluta (mm) e relativa (%) foram utilizadas. As avaliações foram realizadas entre as primeiras 24-48 horas de internação e os pacientes foram acompanhados até a alta hospitalar ou óbito. Resultados: Foram avaliados 98 pacientes com RT-PCR positivo para a COVID-19 (grupo COVID-19) e 82 com RT-PCR negativo (grupo Não-COVID-19). O tempo de internação foi maior nos pacientes do grupo COVID-19 (p=0.01), estes apresentaram mais óbitos (p<0.01) e redução da FMD mm e da FMD% (p<0,01 em ambos). Descobrimos que a FMD absoluta <0.26mm e a FMD relativa <3.43% foram o ponto de corte ideal para predizer mortalidade e maior tempo de internação para pacientes com COVID-19. Na análise de Kaplan Meyer, os pacientes com FMD<0.26mm mostraram alta probabilidade de morte em um período de até 10 dias de hospitalização. Com relação aos índices da VFC, os pacientes com COVID-19 apresentaram maior ativação simpática [aumento do Low Frequency (LF) (nu)], redução da ativação parassimpática [High Frequency (HF) (nu)] (p=<0.01 em ambas) e maior complexidade do SNA (Alfa 1 e Alfa 2: p<0.01). Além disso, encontramos que a HF (nu) <30.2 e a SD2>27.2 foram o ponto de corte estipulados para predizer mortalidade e dias de internação hospitalar nos pacientes com COVID-19. Conclusão: Os pacientes internados por COVID-19 apresentam disfunção vascular endotelial precoce e maior ativação simpática, permaneceram internados por mais tempo e apresentam maior número de óbitos.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021