SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Insuficiência cardíaca como manifestação rara do linfoma linfoblástico T

Juan Thomaz Gabriel de Souza Ramos, Caroline Souto de Melo, Ricardo Mattos Ferreira, Thiago Vieira Rodrigues, Igor Almeida Fonseca , Luis Alberto Franco Ramirez , Lineu Vieira Generoso, Diogo Pinetti Marquezoni, Silméia Garcia Zanati Bazan
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - - SP - BRASIL

Introdução: A insuficiência cardíaca aguda é causa importante de mortalidade no pronto socorro, e sua etiologia deve ser identificada de forma precoce para que seja instituído tratamento específico. De forma pouco usual, o acometimento neoplásico do pericárdio e epicárdico, e mais raramente do miocárdio, por neoplasias hematológicas como os linfomas, podem ser consideradas causas de descompensação aguda de insuficiência cardíaca em pacientes jovens, sendo muito importante a disponibilidade de métodos de imagem para o diagnóstico. Relato de caso:Paciente masculino, 15 anos, em investigação de massa mediastinal descoberta há 2 meses, por tomografia computadorizada (TC) para investigação de causas de dispneia. Na ocasião paciente referia edema, ortopneia e dispneia provocada pelo esforço (NYHA III). A TC de tórax mostrava massa mediastinal com áreas de necrose anterior medindo 10cm de diâmetro anteroposterior. Foi avaliado pela Cirurgia Torácica, sendo submetido à toracocentese diagnóstica e biopsia da massa, evidenciando Linfoma Linfoblástico de células T. Em posterior avaliação da Hematologia, foi iniciado esquema quimioterápico indutor, com prednisona 60mg, ciclofosfamida 500mg/m e vincristina 1mg. Solicitado ecocardiograma que evidenciou hipertrofia ventricular esquerda com aumento predominante da espessura das paredes inferior e lateral, por provável infiltração tumoral; disfunção diastólica tipo padrão restritivo do ventrículo esquerdo (VE); espessamento importante dos pericárdios visceral e parietal, sugerindo pericardite constritiva e derrame pericárdico leve. Na avaliação clínica apresentava taquicardia sinusal (140 batimentos por minuto), crepitações bilaterais até campo médio do tórax e edema importante de membros inferiores, sendo então iniciado furosemida em doses progressivas, com melhora dos sintomas e da diurese durante a internação. Também foi iniciado metoprolol devido a taquicardia, chegando à dose de 100mg ao dia. Após controle dos sinais e sintomas de congestão, paciente recebeu alta hospitalar. Paciente está em seguimento ambulatorial em uso de esquema quimioterápico (metotrexato, citarabina-arabinosídeo e dexametasona), com boa resposta da massa tumoral, diminuição significativa da infiltração do VE e melhora importante dos sintomas. Conclusão:O caso relatado mostra evolução favorável de paciente jovem, acometido por quadro hematológico, com infiltração direta do pericárdio, epicárdio e miocárdio. A regressão rápida do tumor foi marcante durante a evolução do quadro, e infelizmente pouco frequente na literatura.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021