SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

O treinamento físico resistido atenua a disfunção cardíaca independente dos fatores de risco metabólicos em ratos submetidos a dieta ocidental

Gregolin, C. S., Paula, B.H., Sarzi, F. , Barbosa, G. S., Kano, H. T., Mota, G. A. F., De Souza, S. L. B., Bazan, S. Z., Cicogna, A. C. , Corrêa, C. R.
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - - SP - BRASIL

Introdução: Dieta ocidental somada a obesidade, está associada a um conjunto de alterações metabólicas consideradas fatores de risco para doenças cardiovasculares. O treinamento físico resistido (TFr) é empregado como uma alternativa não farmacológica de tratamento. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito do TFr sobre as alterações metabólicas e cardíacas induzidas pelo consumo de dieta ocidental. Métodos: Ratos Wistar (n=40, ± 180g) divididos em 2 grupos (n=20): grupo controle (C), ração controle + água; e grupo high sugar-fat diet (HSF), ração rica em carboidratos simples e gordura + 25% de sacarose na água. Após 20 semanas de dieta houve redivisão em quatro subgrupos: C, C+TFr, HSF e HSF+TFr; os grupos partiram de uma condição de igualdade. Na 20ª e 28ª semanas foram avaliados: peso corporal: balança eletrônica, glicemia caudal: glicosímetro, triglicerídeos: teste enzimático colorimétrico, pressão arterial sistólica: pletismografia de cauda e remodelação cardíaca: ecocardiograma. Na 28ª semana também foi avaliado o índice de adiposidade. Protocolo de TFr: 5x/semanas por 8 semanas, constituiu-se de 4 subidas de escada com aumento gradativo de carga, 1x50%, 1x75%, 1x90% e 1x100% da capacidade máxima verificada no teste de esforço; recuperação entre cada subida 1 min. Análise estatística: ANOVA two-way ou on-ranks, p<0,05. Resultados: Na 20ª semana, o grupo HSF apresentou elevação de peso, glicemia, pressão arterial, triglicerídeos, remodelamento cardíaco concêntrico e disfunção sistólica e diastólica leve. Na 28ª semana, o grupo HSF, apresentou índice de adiposidade aumentado e manteve a elevação de pressão arterial sistólica e triglicerídeos, bem como o remodelamento e a disfunção cardíaca. O TFr não melhorou as variáveis metabólicas. No entanto, o TFr proporcionou melhora da capacidade funcional aferido pelo teste de esforço. O HSF+TFr teve a elevação do diâmetro sistólico do ventrículo esquerdo e tamanho do átrio esquerdo atenuados, bem como os prejuízos na diástole, observados em tempo de relaxamento isovolumétrico, tempo de desaceleração da onda E e E/e’; e apresentaram diminuição do prejuízo sistólico caracterizado por fração de ejeção, percentagem de encurtamento mesocárdico e endocárdico, velocidade de encurtamento da parede posterior, e velocidade sistólica de deslocamento do anel da valva mitral. Conclusão: O TFr não reverteu as alterações metabólicas, no entanto, preservou o diâmetro sistólico do ventrículo esquerdo e o tamanho do átrio esquerdo, além disso houve desfecho favorável sobre a função diastólica e sistólica. CEUA: 1333/2019.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021