SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Frequência Cardíaca de Repouso como variável preditora do Teste de Caminhada de Seis Minutos em indivíduos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

Renan Shida Marinho, Renan Shida Marinho, João Paulo Prado, Afonso Santos de Lima, Renata Aparecida Serafim, Sarah Fonseca Rocha Alves, Aline Roberta Danaga, Carmélia Bomfim Jacó Rocha, Giovane Galdino de Souza, Juliana Bassalobre Carvalho Borges
Universidade Federal de Alfenas - Alfenas - MG - Brasil

INTRODUÇÃO: A frequência cardíaca de repouso (FCR) apresenta relação direta com capacidade funcional e quando elevada associa-se ao maior risco de eventos adversos e de morte de causa cardiovascular. Os indivíduos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) apresentam declínio da capacidade funcional e, consequentemente, com o sedentarismo estão sujeitos a maiores taxas de exacerbações e hospitalizações. Portanto, avaliar a FCR nessa população norteia para conhecer a capacidade funcional, sendo esta avaliada com frequência pelo teste de caminhada de seis minutos (TC6), bem como direcionar a prescrição de exercício nesta população. Este estudo teve como objetivo propor um modelo preditivo para a distância do TC6 a partir da FCR. MÉTODOS: Estudo transversal com 136 indivíduos com DPOC. A pressão arterial foi verificada por método auscultatório na artéria braquial, com esfigmomanômetro manual, a FCR por cardiofrequencímentro (Polar®) e a saturação periférica de oxigênio (SpO2) por oxímetro digital (YK009-Zhoupai®); após 5 minutos de repouso.  Todos os indivíduos realizaram TC6 conforme critérios da American Thoracic Society, em corredor de 30 metros, sendo instruídos a percorrer a maior distância antes do sexto minuto. Trabalho aprovado por comitê de ética. Realizada análise estatística de regressão linear simples com nível de significância  de 0,05. RESULTADOS: Na amostra avaliada observou-se idade de 67±6 anos, maior prevalência do sexo feminino e da Hipertensão Arterial como comorbidade; índice de massa corporal 27±5 Kg/m2, com predominância de sobrepeso (38%); além de tabagismo pregresso relatado pela maioria. Na análise de regressão linear simples optou-se pela FCR como variável preditora da distância percorrida no TC6 (R2 Ajustado=0,07; F=12,53 (p=0,01), sendo obtida a seguinte equação: Distância Percorrida no TC6 (metros) = 494,66 + (-2,13*FCR bpm). CONCLUSÃO: A FCR pode ser uma variável para predizer a capacidade funcional através da distância percorrida no TC6 dos indivíduos com DPOC, podendo auxiliar na determinação da capacidade funcional e na prescrição mais adequada de exercício.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021