SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

EVOLUÇÃO DO TEMPO PORTA BALÃO APÓS 10 ANOS DE CONSOLIDAÇÃO DO PROGRAMA DE CUIDADOS CLÍNICOS DE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

Camila Gabrilaitis Cardoso, MARIANA YUMI OKADA, NILZA LASTA , SANDRO BATISTA , RAQUEL DA SILVA BALDUINO , LUCIANE ROBERTA VIGO, VIVIANE APARECIDA FERNANDES , MARCIO SAMPAIO, PEDRO BARROS , VALTER FURLAN
SAMARITANO PAULISTA - SÃO PAULO - SP - BRASIL

INTRODUÇÃO: No Infarto Agudo do Miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST, há uma obstrução total da artéria coronária e o tratamento de primeira escolha é a Angioplastia Primária como terapia de reperfusão precoce. Segundo as Diretrizes da American Heart Association, o tempo porta-balão deve ser de no máximo 90 minutos. Em 2017, a sociedade europeia de cardiologia indicou como tempo porta-balão ideal < 60 minutos. A redução deste tempo é um processo desafiador no mundo inteiro e requer uma grande demanda e integração de vários setores dentro das instituições. O programa de cuidados clínicos em IAM é uma ferramenta da Joint Comission International que avalia a gestão do cuidado de doenças graves e agudas. ­

­

OBJETIVO: Com a consolidação do programa, objetivou-se proporcionar a melhor assistência ao paciente, sendo o tempo porta-balão um item de fundamental importância para o sucesso no tratamento do IAMCST.

MÉTODO: Foram analisadas fichas do protocolo de dor torácica e prontuários de todos os pacientes com diagnóstico de IAMCST submetidos à Angioplastia Primária nos anos de 2011 a 2020, em um Hospital privado especializado em cardiologia da cidade de São Paulo.

RESULTADOS: Observou-se em 2011 que o tempo médio de porta-balão encontrava-se acima do preconizado pelas melhores diretrizes clínicas (média de 93,5 minutos), mesmo com um protocolo de dor torácica instituido. No ano de 2012, quando implementado o programa de cuidados clínicos na instituição, observou-se uma melhora global do desempenho na assistência, com destaque para o tempo porta-balão com média de 77,7 minutos. Nos anos seguintes as médias mantiveram-se abaixo do estabelecido sendo de 77.1 min em 2013, 72 min em 2014 , 63,4 min em 2015, 64,9 em 2016, 59,5 em 2017, 61,7 em 2018, 55,6 em 2019 e 51,3 em 2020 (P < 0,01).

 CONCLUSÃO: O tempo porta-balão é um indicador de qualidade no atendimento ao paciente com IAMCST nas instituições que possuem um setor de hemodinâmica e por estar relacionado com o prognóstico e mortalidade. Com a implementação e consolidação do Programa de Cuidados Clínicos houve uma reestruturação de toda instituição e sua equipe, através de treinamentos e com isto observamos que houve uma melhora significativa no tempo porta balão e este mantém-se em declínio. Devido a nossa série histórica, hoje nosso indicador é avaliado com a meta ideal de 60min. O acompanhamento dos pacientes e ações de melhoria são constantes refletindo na manutenção deste tempo abaixo do preconizado pelas melhores diretrizes e práticas clínicas.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021