SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Influência da L-arginina sobre a remodelação cardíaca em ratos submetidos ao 5-fluorouracil

Talita Rizo Pereira, Laiz Tauane da Silva Cruz, Paula dos Santos Gardenal, Sara Llorente Cordeiro, Ester Teixeira Santos, Aline de Oliveira Santos, Luis Souza Lima de Souza Reis, Inês Cristina Giomettia, Marcela de Andrade Bernal Fagiani M, Francis Lopes Pacagnelli
Unoeste - PRES PRUDENTE - SP - Brasil

A remodelação cardíaca é uma condição que afeta os cardiomiócitos, vasos sanguíneos e a matriz extracelular, podendo ser resultante de inúmeros fatores como, cardiomiopatias e drogas antioneoplásicas. O 5-fluorouracil (5-FU) é uma destas drogas, utilizado no tratamento de canceres de mama, cabeça, pescoço e esôfago, é um quimioterápico antimetabólito que está relacionado a cardiotoxidade por promover isquemia. A L-arginina (ARG), um aminoácido semi-essencial sintetizado no intestino delgado e nos rins, tem sido empregado como suplemento e cooperativo na presença de doenças que afetam o sistema cardiovascular e poderia ser um recurso terapêutico cardioprotetor aplicado nesta condição. Portanto, o objetivo desse estudo foi avaliar o efeito de baixas doses do suplemento de ARG na remodelação cardíaca de ratos Wistar submetidos à quimioterapia com 5-FU. Métodos: Foram utilizados 48 ratos machos com 40 dias de idade, peso corporal médio de 140 ± 10g, divididos em 4 grupos: controle (CT), (n=12): tratados com uma aplicação soro fisiológico intraperitoneal, grupo 5-FU (n=12): tratados com 1 dose de 200 mg, intraperitoneal; grupo ARG (n=12) tratados preventivamente com L-arginina (100mg) em água filtrada por 8 dias e grupo 5-FU + ARG (n=12), tratados por 8 dias com L-arginina em água filtrada e no 9º dia aplicado intraperitonealmente o 5-FU (1 dose de 200 mg). Após 72 horas da aplicação do quimioterápico foi realizada a eutanásia. A remodelação cardíaca foi avaliada no ventrículo esquerdo nos aspectos histológicos quanto a hipertrofia e moleculares em relação aos genes do colágeno (Col1a1, 2 e 3), óxido nítrico sintase 2 e 3 (Nos2 e 3) e hipóxia. Para normalidade dos dados foi realizado o teste de Shapiro Wilk e a comparação entre grupos foi por ANOVA com Tukey ou Kruskal Wallis seguido de Dunn (p<0,05). ResultadosOs ratos tratados com ARG e ARG+FU não apresentaram hipertrofia. O 5-FU reduziu a expressão gênica dos Col 1a1 (CT= 0,93; 5-FU= 0,26; ARG= 0,76; p= <0.0001), Col1a2 (CT= 0,93; 5FU= 0,26; ARG=0,91; p= <0,0001), e Col3 (CT=0,32; 5FU= 0,07; ARG= 0,24; p= <0,0001); e também do Nos3 (CT= 0,34; 5-FU= 0,26; ARG= 0,19; p= 0,0077) e do fator induzível de hipóxia (CT= 0,96; 5-FU= 0,63; ARG= 0,80; p= 0,0029). A associação 5-FU+ARG não alterou essa diminuição. Não houve modificações na expressão gênica do Nos2. Concluímos que apenas uma sessão do 5-FU promoveu modificações da remodelação cardíaca em relação a marcadores epigenéticos relacionados ao colágeno e marcador de vasodilatação e que a suplementação com ARG não reverteu essas alterações.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021