SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Espasmo coronariano devido ao uso crônico de esteroides anabolizantes - Relato de Caso

Camila Anacleto Agostinho, Mariana Silveira de Alcantara Chaud, Felipe Lopes Malafaia, Marcio Campos Sampaio, Pedro Gabriel Melo de Barros e Silva, José Carlos Teixeira Garcia, Valter Furlan
Hospital Samaritano Paulista - São Paulo - SP - Brasil

Espasmo coronariano devido ao uso crônico de esteroides anabolizantes 

 Camila A. Agostinho, Mariana S. de A. Chaud, Felipe L. Malafaia

 

Abstract

Introdução: Os esteroides anabólicos androgênicos (EAA) constituem uma classe de hormônios naturais e sintéticos com propriedades de crescimento celular em massa e desenvolvimento de peculiaridades sexuais masculinas. O uso indiscriminado dos EAA para fins estéticos vem crescendo continuamente nos últimos anos e, com isso, mais evidentes são os casos de síndrome coronariana aguda secundário à estas drogas, principalmente nos pacientes mais jovens. O sistema cardiovascular  nos usuários de esteroides anabolizantes pode apresentar alterações importantes por diversos mecanismos, podendo causar infarto agudo do miocárdio por espasmo coronariano. O grau de toxicidade dos anabolizantes está relacionado à uma variedade de fatores, dentre eles a dose da substância, o ciclo e as diferenças intrínsecas de cada indivíduo.

Relato de caso: Neste relato, descrevemos o caso de um homem de 48 anos, usuário crônico de oxandrolona, ​​que apresentou episódio de dor epigástrica em queimação, sem irradiação ou outros sintomas agudos, com eletrocardiograma (ECG) inicial mostrando padrão plus minus isolado em V4 . Após 2 horas, apresentou piora clínica, sendo evidenciado supradesnivelamento do segmento ST de V2 a V6. A trombólise foi realizada com tenecteplase sem critérios de reperfusão miocárdica. O paciente foi submetido à cinecoronariografia percutânea, que evidenciou artéria descendente anterior com lesão de 50% em terço médio e pequeno primeiro ramo diagonal com lesão ostial de 60%. Para confirmação e planejamento do tratamento, foi realizada ultrassonografia intracoronária de artéria coronária esquerda, que evidenciou lesão fibrolipídica, sem sinais de roturacom uma área luminal menor de 4,62 mm2 e carga de placa de 54%. Diante do exposto, optou-se pelo tratamento clínico de espasmo coronariano sobre placa aterosclerótica atribuído por etiologia multifatorial.

Conclusões: Este relato de caso discute o mecanismo de espasmo coronariano decorrente do uso crônico de esteroides anabolizantes. O caso mostra que o uso desta substância pode ser um fator de risco importante para infarto agudo do miocárdio, principalmente naqueles pacientes mais jovens e com risco cardiovascular baixo, reforçando a ideia de que durante uma anamnese de um paciente que chega à emergência com quadro de síndrome coronariana aguda, é necessário excluir histórico pessoal de consumo de drogas ilícitas.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021