SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO SECUNDÁRIO À OBSTRUÇÃO DE 100% EM TRONCO DA CORONÁRIA ESQUERDA COM ELETROCARDIOGRAMA NORMAL E QUADRO CLÍNICO POUCO EXUBERANTE

Caroline Cordeiro Barroso Braga, Murillo de Oliveira Antunes
Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus - Bragança Paulista - SP - Brasil

INTRODUÇÃO

A síndrome coronariana aguda (SCA) causada por obstrução do tronco da coronária esquerda (TCE) é um condição relativamente infrequente, porém muito grave. Na maioria dos casos que chegam ao departamento de emergência, há oclusão subtotal do TCE, uma vez que a oclusão completa rapidamente desencadeia eventos como choque cardiogênico, fibrilação ventricular, parada cardiorrespiratória e óbito.

RELATO DE CASO

Paciente masculino, 45 anos, tabagista 5 anos-maço, dá entrada em serviço de emergência com quadro de precordialgia há 3 horas, iniciada ao esforço, de moderada intensidade, em aperto e com irradiação para membros superiores.

Na admissão paciente apresenta-se estável hemodinamicamente e o eletrocardiograma (ECG) não apresentava supra ou infra desnivelamento do segmento ST.

Devido dor precordial típica para SCA e mesmo com ECG normal, paciente foi encaminhado de urgência à cineangiocoronariografia. 

O resultado da cineangiocoronariografia demonstrava tronco da coronária esquerda bifurcado, com lesão obstrutiva de 100% no terço distal, e presença  de circulação colateral entre coronária direita para artérias descendente anterior e circunflexa grau III. 

Posteriormente troponinas confirmaram o diagnósticos de  infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST.

DISCUSSÃO

As características do ECG no infarto causado por obstruição do TCE  são comumente relatadas como elevação do segmento ST em derivações avR e V1 e alteração do segmento ST em várias outras derivações. 

O paciente em estudo apresentou uma lesão grave e potencialmente fatal do TCE, com 100% de obstrução, e ao chegar ao departamento de emergência não apresentava quadro clínico exuberante de precordialgia e nem manifestações mais graves relacionadas à essa lesão.

A presença de circulação colateral visualizada na cineangiocoronariografia entre a artéria coronária direita para artérias descendente anterior e circunflexa, ramos do TCE, indica um processo obstrutivo crônico que foi o principal motivo da sobrevivência do paciente e motivo pelo qual paciente apresentou ECG sem sinais de isquemia aguda na admissão.

CONCLUSÃO

No caso relatado, o provável tempo de evolução crônico da obstrução do TCE criou uma eficaz circulação colateral entre a artéria coronária direita e os ramos do TCE, sendo a  principal razão do paciente não ter apresentado manifestações clínicas graves e ECG normal na admissão.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021